Neurose de mim mesmo Malvados Subscribe to my feed

Fernando Pessoa Estou ouvindo

Estou ouvindo
(…) O vampiro sentou-se mais para a beirada. Os pés batiam nas paredes externas do edifício. O vento passava ligeiro agitando seus cabelos. Suas roupas negras deixavam-no mimetizado em meio ao céu escuro. Mesmo estando no telhado do prédio, no trigésimo quinto andar, conseguia enxergar bem o calçamento público há mais de oitenta metros de altura.
Também não tinha medo de uma rajada mais forte derrubá-lo da beiradinha. Sua cabeça não se preocupava com isso. Um sorriso fino enfeitava sua boca(…)

-
Rosa
-

(…) O vampiro levantou-se e saltou para baixo. Seu corpo desceu, despencando no ar, aumentando de velocidade. De repente a queda parou. O vampiro tinha alcançado uma saliência no prédio, uma mureta que guarnecia algumas sacadas mais destacadas do vigésimo andar para baixo. Rodou o corpo voltando a ficar de pé na altura do décimo quinto andar parou na sacada, com leveza impressionante. Olhou para dentro do apartamento. As portas corrediças de vidro estavam abertas.
Tudo certo, como planejara. Aquela casa não era selada para ele. Seu jogo de sedução fizera os lábios da mulher pedir sua vinda, fazer o convite. Era como se um muro invisível se dissolvesse. O vampiro colocou o pé para dentro. Vagou pela sala escura e vazia. Atravessou o corredor chegando ao quarto principal. Empurrou suave a porta. Seus olhos brilharam quando a viu deitada na cama. Lingerie. Corpo exuberante. Cabelos negros longos. Ele caminhou sem nem mesmo o ar se dessa conta. Estendeu suas mãos brancas na direção da mulher. Seus dedos tocaram sua perna com leveza. Depois deixou a palma inteira acariciar a coxa da mulher. Deitou o corpo para frente e beijou o pescoço da vítima. A mulher, sem agito nem susto, despertou e abriu os olhos. Fitou demoradamente o homem pálido ao seu lado. Seus lábios separaram-se sensuais. A mulher sorriu. Abraçou o vampiro sem saber que era esse seu último abraço. Chamou seu nome sem saber que era a última vez que falava.
- Samuel.
O vampiro debruçou-se novamente sobre a mulher. Dessa vez suas mãos não eram mais suaves nem carinhosas. Agora seus músculos estavam tesos e determinados. A boca se abriu e os dentes pronunciados encontraram a pele da vítima. As presas cravaram firmes e indefectíveis. Samuel não se importou com os gemidos de dor. Samuel não se importou com o sacolejar da mulher. Samuel não se importou com nada. (…)

Trecho do livro: O Turno da Noite - Vol. 1 - Os Filhos de Sétimo.
Autor: André Vianco
Editora: Novo Século

-
Linha
-

Ótima semana Pessoal…
Abração forte…

  • Não Deixe de Ler…
Fernando Pessoa - Poema do Dia: Glosa”

“Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento”

{“Clarice Lispector”}

9 Respostas to “Noturno”

  1. A Nobre Senhora do Reino Says:

    Eu vim me apresentar, mas acho que já nos conheciamos… rs
    Não conheço esse livro, mas esse “pedacinho” me pareceu triste, cinzento, fúnebre…
    Mas quanto à Clarice Linspector, eu concordo plenamente. Algumas coisas são como são; basta aceitá-las, mesmo sem entendê-las…
    Chega de escrever, né??
    Bjs e até mais!!

  2. Bill Says:

    Aeeeeee mano =]

    Bacana, muito bem escrito, ta certo que tá no fime da minha peguena fila de leitura mais vale a pena ^^

    Toca o barco que a coisa é feita =]

    [s]s

  3. Rainha de Copas Says:

    queria ler palavras suas!

  4. Jujuô Says:

    SAUDADE DE VC!

    Não li, prometo que com tempo eu volto e leio!
    Comecei a postar no meu de novo, mas não terminei… Aliás… Terminei o post, mas não a história!

    Saudade de vir aki!

    Te amo muitão!

    Bjoks!

  5. Dama de companhia Says:

    Oi lindo…sabe o que pensei encontrar aqui hoje? Você através das palavras que sabes escrever tão bem quando quer…Peninha.Adoro você, viu?!Beijos.

  6. Marie Says:

    Hello Dj,
    que danado esse vampiro!!!
    eu hemmm!!! hehehe
    mandei uma foto super legal pra vc…troquei o beijo do vampiro…por beijos de anjos …eu gosto mais!!!
    enfim…anjos….vampiros…e como diria a Clarice…não se preocupe em entender!!!hhehehe
    beijinhos querido amigo,
    Marie

  7. Micha Says:

    ai q meda..não quero ser mordida tb.

    beijossssssssss

  8. Faby Tedrus Says:

    Gostei! É bem interessante, alias historias de vampiros são interessantes!
    Atualizei o meu blog, passa lá!
    E adorei a frase, adoro a Clarice Lispector
    Bjããão

  9. Jujuô Says:

    Devia ter parado no primeiro comentário!
    Voltei pra ler… E a curiosidade tomou conta de mim… Droga!
    Rs… Clarice diz muito!
    Preciso viver!
    Te amo!
    Bjos!

Deixe sua resposta!!