Neurose de mim mesmo Malvados Subscribe to my feed

Fernando Pessoa Estou ouvindo

Estou ouvindo

-

[...] Se tu queres um amigo, cativa-me!

– Que é preciso fazer? – perguntou o pequeno príncipe.

– É preciso ser paciente – respondeu a raposa

– Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva.

Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada.
A linguagem é uma fonte de mal-entendidos.
Mas cada dia, te sentarás um pouco mais perto…

No dia seguinte o príncipe voltou.

– Teria sido melhor se voltasses à mesma hora – disse a raposa.

– Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz!
Quanto mais a hora for chegando, mais me sentirei feliz! Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade!

Assim o pequeno príncipe cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:

– Ah! Eu vou chorar.

– A culpa é tua – disse o principezinho. – Eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse…

– Quis – disse a raposa.

- Então, não terás ganho nada!

– Terei, sim – disse a raposa – por causa da cor do trigo.

Depois ela acrescentou: – Vai rever as rosas. Assim, compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te presentearei com um segredo.

O pequeno príncipe foi rever as rosas:[...]. “ E ao voltar dirigiu-se à raposa:

– Adeus… – disse ele.

– Adeus – disse a raposa.

- Eis o meu segredo.

É muito simples: só se vê bem com o coração.

O essencial é invisível aos olhos.” [...]

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

Saint-Exupéry

Linha

Um grande abraço e até breve.

Linha

  • Leia também:
Fernando Pessoa - Poema do Dia: “De Apolo”

2 Respostas to “Cativa-me”

  1. Karina Says:

    Boa tarde!
    Que coisa mais linda!
    É tão singelo e tão profundo.
    Amo-te querido!
    Muitas saudades!

  2. Su Says:

    Hum, que lindo!!!

    Estou de endereço novo: aislinnahimana.blogger.com.br

    Bjosss!!!

Deixe sua resposta!!