Neurose de mim mesmo Malvados Subscribe to my feed

Fernando Pessoa Estou ouvindo

Estou ouvindo

-

†Talvez†

Atrás das colinas
Hoje à noite
Talvez eu encontre meu amor

Um homem
Cuja luz foi apagada há tempos
Por uma forte brisa de mágoa e solidão

Talvez hoje ele me mostre seu mundo
Me conte seus sonhos
Suas canções

Um dia, quem sabe
Ele possa até mesmo sorrir para mim
E dizer com a mais doce voz do mundo
Eu te amo! Por ter tornado minha vida tão bela assim…

Nesse dia…ele perceberá
Que feliz é o homem
Que um dia se deixou amar

Que alegre é aquele
Que deixou seus sonhos voarem
Sem medo de cair… e se machucar.

Escrevi nas paredes do meu quarto
Palavras doces e sombrias
Dedicadas ao meu amor…

Te observei todos os dias
Via caminhar
Até que passei a te amar

Seus olhos…
Eram tão brilhantes quanto a lua cheia
Sua pele… mais pálida que o mais perfeito dos defuntos

Te amei, te amo ate hoje!
E você…
Ah! Você nem sabia da minha existência…

Fiz tantos poemas para esse menino sombrio
Que com seu olhar
Marcou fortemente minha vida

Ele se foi
E hoje… deito em seu túmulo
E marco com minha dor e minhas lágrimas
Tudo o que senti por ti
Meu pequeno menino triste…

Ðeito na rua
Sozinha na chuva
Só a espera dessa minha tristeza passar

Olho a lua
Imagino você
Estou pronta para te ver… eu quero morrer!

Me juntar a ti
Num sono eterno
Que me salvará, sem deixar de te perder

Em um mundo escuro
Nossas almas se encontrarão
Sinto um forte desejo, de te beijar e no seu corpo poder tocar

Já não suporto a dor
Preciso te Ter
Eu quero você!
Vou morrer…

Aline Tainá Monsores Niederauer

Linha

Feliz dias das Bruxas pra você…
Doce ou Susto????

Linha

  • Leia também:
Fernando Pessoa - Poema do Dia: “XVII”

Deixe sua resposta!!