Agosto 2006


Havia um ar de felicidade que não sabia explicar
Havia também certa angústia
Como se a imprecisão fosse certeira
Onde o alvo esteve estava estabelecido
Havia também algo que pulsava
Que exalava o odor da vida
E que enxergava profundamente todas as nuanças do mundo
Como se entendesse as correntes invisíveis que a tudo permeava

Estaria então preso a uma situação por livre e espontânea vontade
Que cada qual busca incessantemente e que ficaria feliz de se ver
Engaiolado e enjaulado

Esperando numa varanda
Eu tento entender
Tudo que a minha não-vida oferece
E tudo que ela insiste em me tirar

Talvez fosse mais fácil olhar apenas para mim
Talvez fosse mais fácil esquecer tudo que vivi
Talvez fosse mais fácil não viver

O que tenho agora são traços malfeitos
Aos quais me servem de base para o certo
E tudo transparece errado
Sob uma óptica utópica

Mas eu ainda espero
Sentado como sempre
Em uma varanda gelada
Ao qual nada mais me resta
Onde não há o que fazer

Tente entender-me
Tente ao menos
Não é pedir demais

Talvez fosse mais fácil olhar apenas para mim
Talvez fosse mais fácil esquecer tudo que vivi
Talvez fosse mais fácil não viver

yesterday i got so old
i felt like i could die
yesterday i got so old
it made me want to cry
go on go on
just walk away
go on go on
your choice is made
go on go on
and disappear
go on go on
away from here

and i know i was wrong
when i said it was true
that it couldn’t be me and be her
inbetween without you
without you

yesterday i got so scared
i shivered like a child
yesterday away from you
it froze me deep inside
come back come back
don’t walk away
come back come back
come back today
come back come back
why can’t you see?
come back come back
come back to me

and i know i was wrong
when i said it was true
that it couldn’t be me and be her
inbetween without you
without you

Oks. Um ano e Um dia de existência desse Blog! Acho que esse humilde blog é caracterizado pela saudade… Um ano atrás meus melhores amigos foram embora para poderem buscar uma vida melhor… Ontem de madrugada minha irmã foi embora…

Bem, tentarei descrever alguma coisa feliz…

Fim de Semana quase que perfeito! Após ficar três dias doente, me recuperei por completo e ainda passei um sábado maravilhoso ao lado de pessoas fantásticas!

Porém, domingo quase um desastre… Minha amada namorada passou mal e eu fiquei o dia todo no hospital ao lado dela…

Em resumo: Foi um Fim de Semana marcante.

Parabéns para essa Casa De Elfos!

Hahahha… Cada dia mais eles migram para o Oeste!

Até que eu parei. Por quê? Não sabia. Tentava ao menos conseguir raciocinar em paz, ou pelo menos algo que me proporcionasse um pouco de fôlego.

Até que eu parei. Por quê? Não sabia. Nem mesmo imaginava por que diabos eu estava parando.

“O pior que pouco, é não ter nada”.*

Em tempos remotos nada havia a não ser a calmaria. Tudo era como deveria ser. Então veio a raça que deu início a destruição de tudo. Rumando rumo ao mais completo Káos.

“A medida de amar é amar sem medida”**

Você acha que vive, ou pensa que isso é uma vida. Quem dirá se você realmente está certo ou errado?

É tudo um sonho. Ora bom, ora ruim. E nesse sentido você é jogado de um lado ao outro, tentando compreender o que diabos você está fazendo acordado. Ou estaria dormindo?

Após tanto tempo sem aquilo que tanto almejava o que ele iria fazer?

“Sem essa onda agora o que vai ser de mim?”***

Algo que me falta é algo que eu tenho ao meu alcance e não posso pegar. Algo que me falta é tudo aquilo que me foi dado, porém eu não posso usufruir. Algo que me falta não me falta, pois sempre tive.

Palavras aleatórias (des)conectas que formam um semblante embaraçado, porém em perfeita Ordem.

(Ordem = Disposição conveniente dos seres e das coisas)

A confusão surge quando tudo é posto em Ordem. (Confúcio)

“Tudo na mais perfeita Ordem, tudo na mais santa Paz”.****
_______________________________________________

* Os Pardais – Salário m.m.m.
** Engenheiros do Hawaii – Números
*** Botina Velha do Tio Zé – Seqüela
**** Toquinho, Vinicius de Moraes – Tudo na Mais Santa Paz