A Doida

A noite passa, noivando.
Caem ondas de luar.
Lá passa a doida cantando
Que mais parece chorar!

Dizem que doi morte
D´alguém, que muito lhe quis,
Que endoideceu, triste sorte!
Que dor tão triste e tão forte!
Como um dido é infeliz!

Desde que ela endoideceu,
(Que triste vida, que mágoa!)
pobrezinha, olhando céu,
Chama o noivo que morreu
Com os olhos rasos d´água!

E a noite passa, noivando.
Passa noivando luar:
“Num suspiro doce e brando,
Podre doida vai cantando
Que esse teu canto, é chorar!”

Florbela Espanca - Trocando olhares

2 Comentários »

  1. bruninha Said:

    on at 8:10 am

    :twisted::twisted::twisted:oiiiiii

    fiko mto bom o seu linduh poema……

    a doida combino comigo.

    hauhauhauhajhua

    bjuxx

    ate+

  2. pedro victor Said:

    on at 4:47 pm

    :roll::roll: a vida de uma doida e dificil

{ RSS feed for comments on this post}

Deixe um comentário

XHTML: Line-breaks are automatic. Available tags are <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>