O maior bem

Este querer-te bem sem me quereres,
Este sofrer por ti constantemente,
Andar atrás de ti sem tu me veres
Faria piedade a toda a gente.

Mesmo a beijar-me a tua boca mente…
Quantos sangrentos beijos de mulheres
Pousa na minha a tua boca ardente,
E quanto engano nos seus vãos dizeres!…

Mas que me importa a mim que me não queiras,
Se esta pena, esta dor, estas canseiras,
Este mísero pungir, árduo e profundo,

Do teu frio desamor, dos teus desdéns,
É, na vida, o mais alto dos meus bens?
É tudo quanto eu tenho neste mundo?

Florbela Espanca - A mensageira das violetas

5 Comentários »

  1. Nathália Said:

    on at 4:37 pm

    Sou antenada em poesia (não por acaso, trabalho como assistente editorial do poeta Ulisses Tavares, conhece?), visitei seu blog e gostei muito.

    Olha, se puder, dá um toque para seus blogueiros e amigos olharem o site que gerencio:

    http://www.ulissestavares.com.br

    Sempre tem poesia nova lá e os visitantes concorrem a um livro autografado toda semana.

    Sem burocracia e sem despesa alguma. Basta clicar no site, enviar um e-mail e concorrer.

    Grande beijo e continue no caminho da poesia que o mundo precisa disso,

  2. silvia Said:

    on at 1:43 pm

    este poema é lindo!!!!

  3. mika Said:

    on at 11:16 am

    nao tem analise
    e uma valente bosta

  4. andreia Said:

    on at 5:23 pm

    Não tem análise? nao serve para nada…-.-

  5. joao Said:

    on at 5:24 pm

    Já punham análise…. -.-

{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe um comentário

XHTML: Line-breaks are automatic. Available tags are <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>