rss Buscar

Sexta Poética 46

line


Dois Segredos

Ouço tudo e mais
do que dizes.
Escuto além da palavra:

o som crepuscular
do silêncio mais vasto.
Ouço tudo:

reticências
suores
bater de cílios
os dedos
o estremecimento da grafite
o lento desenhar da tua sílaba

{Luísa Ribeiro}


Luísa Ribeiro
Maria Luísa da Cunha Ribeiro, nasceu em 12 de agosto de 1960, em Angra do Heroísmo, nos Açores. Em 1985 ganhou o 1º prêmio num concurso literário para jovens, promovido pela Direção Regional de Cultura, com o manuscrito Fogo Branco, publicado em Maio de 1986.

«secaram os campos amáveis
da tua carne e agora
só posso chorar para que neles
nasça uma louca flor»

Uma das vozes mais destacadas da nova literatura açoriana, tem sido poeta da sombra. De si diz:

«sinto pudor e guardo o que escrevo; não gosto de sessões de lançamento de fato e gravata; gosto de estar na sombra; gosto de estar no nevoeiro; a única maneira que tenho de falar de mim é escrevendo»

Também escreve contos (maravilhosos), publica esporadicamente em revistas literárias como Alhucema, Storm-magazine e Seixo Review ou em jornais regionais. Em 2004 fez uma Ex-Posição de poesia, no Centro Cultural de Angra, intitulada “Uma pequena porção de noite”.

«Às vezes
Poderosas vezes
Penso no azul indecifrável
Que escorre das palavras
E me envolve
No lugar escondido do sonho.»

Poesia em flor, cheia de perfume que nos faz sonhar com cada palavra, um olhar romântico que nos abraça a cada verso. Simplicidade e a concisão criando uma beleza lírica sem igual.

«pouso na árvore do teu corpo
e é como se as tuas raízes
envolvessem o meu coração
embriegado»

Ótimo fim de semana pra você.

«Gostava de te chamar um superlativo
subtrair-te os limites do nome
ter um acrónimo

pô-lo ao peito
em jeito de colar»

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “Passos Da Cruz” - Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “A Anto!” - Leia!!!

O vento empurra-te para mim, transformado em
folhas caídas – escrita anónima do tempo.
É Outono. O pátio está já carregado de ti.
E o meu corpo recebe-te, enquanto viajo, ao som do
tango que estremece na escuridão dos teus olhos.
{“Luísa Ribeiro”}


12 comentários

line
  1. Um dia sua lista de poetas acaba? rsrs

    Beijos e bom fim de semana

    line
  2. Falar de si mesma é difícil e se expor mais ainda, mas colocar em pequenas “charadas” o segredo do coraçào, ela o fez de maneira magistral! E quem não gosta de um pequeno segredo, por menor que seja? Boa sexta-feira! Bjs

    line
  3. Muito Prazer poeta!
    Obrigada Bill por mais essa ;)
    carinho de lindos dias,
    beijos

    line
  4. DO

    To precisando tbem ouvir muitas coisas.

    Valeu,Bill.

    Abração e um otimo fds a vc.

    line
  5. Mais uma aula maravilhosa!
    “pô-lo ao peito
    em jeito de colar”
    O meu, queria poder transformar em chaveiro e carregar sempre comigo!

    Bjinhos e bom final de semana.

    line
  6. tb

    Bill,
    meu amigo Bill as saudades são grandes de vir até aqui colher estas palavras em forma de poesia com que tão bem nos encantas.
    Parabéns por mais esta escolha!
    beijinhos

    line
  7. Mais uma Sexta Poética reveladora e interessante.

    Caramba amigo, quantos poetas portugueses eu vou descobrindo por aqui. Agora foi a vez de Luísa Ribeiro uma ilhoa, e olha só, mesmo no melhor dos melhores, o grande Fernando Pessoa, eu descubro coisas novas como aconteceu esta tarde com o poema que recomendas.

    Sempre aprendendo.

    Grande abraço.

    line
  8. nossa..q lindos os poemas dela…amei.

    /(,”)\\
    ./_\\. Beijossssssssss
    _| |_……………..

    line
  9. Ahhh meu Deusssss
    só pq eu sumi o Bill parou de comentar
    [ou pelo menos retribuir comentários]
    no meu blog =/
    Oiiii Bill
    volteeiii =] tudo bom?

    =*

    line
  10. e eu tenho um segredo para ti menino do além mar:

    ouço a tua voz a mil tempos. todos os tempos que nos vais dando inscritos no teu bom gosto literário!!!!!

    beijo. daqui. onde o longe é sempre mais um momento de te encontrar.

    obrigada.
    Bill.

    line
  11. Luísa

    perfct¹²³

    line
  12. um largo largo e sentido agradecimento, por ver-me assim acariciada

    line

Deixe uma resposta