rss Buscar

Sexta Poética 41

line


Soneto à Sexta-Feira

Cai-me das mãos o resto de cansaço
e gela. Escorre inútil. Débil fio
à flor do corpo: transparente ou baço?
Dos braços verticais dedos esfio.

Abri-los. Distendê-los. E não faço
o fácil movimento. Só desfio
pela memória o nítido regresso.
Voltado sobre mim me desafio.

O círculo não fecha. Enquanto aflora
o leve estremecer. Uma demora
dum gesto me suspende. Quase salto

sobre as garras do tempo. Breve e incauto
me prolongo no rasto dum desejo.
E o milagre: apalpo, sofro, vejo.

{José Augusto Seabra}


José Augusto Seabra – {Porto,1937 - Paris, 2004}
Nasceu em Vilarouco (S. João da Pesqueira) em 1937. Formou-se em Direito na Universidade de Lisboa. Foi Poeta, Ensaísta, Crítico, Professor Universitário e Diplomata.

«Cai-me a tristeza aos pés… E não me baixo»

Opositor democrático ao regime de Salazar, foi preso e condenado por motivos políticos, tendo de exilar-se e só regressando a Portugal com a queda da ditadura em 1974. Doutorou-se em Letras, em Paris (Sorbonne),em 1971 com uma tese sobre Fernando Pessoa.

«Se iluminar-se
o puro acto
lento se ousasse
no tempo exacto
quase só graça
de ser o espaço
de nada a nada
no puro acto
de iluminar-se.»

Foi Professor catedrático na Universidade do Porto, colaborou em vários jornais e revistas. Foi um dos fundadores do Centro de Estudos Pessoanos e do Centro de Estudos Semióticos e Literários. Foi embaixador de Portugal junto da UNESCO, em Nova Delhi, em Bucareste e em Buenos Aires

«Entre o sopro
dorido
do corpo
e o vazio
que outra sombra
respIra
ferida
até à morte? »

Conheci a obra de Augusto Seabra enquanto estudava sobre Fernando Pessoa, me agradou muito, tem um doce amargo nas palavras, uma mistura que faz palavras bailarem.

«Nem sei de quando
amo este amor sombrio
e amado, nem se amando
ódio a ódio o adio,
brando, tão brando
e a frio.»

Ótimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “XXVI” - Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “Quem Sabe?!…” - Leia!!!

Se a mágoa não perturba
a luz dorida e vaga
filtrada como a chuva,
que sombra já divaga
na mente que se curva
ao vento onde resvala
o tempo ruga a ruga?
{“José Augusto Seabra”}


13 comentários

line
  1. Sintonia incrível.
    Eu aqui, e você no Girassol. =)

    Gostei da definição que usaste “tem um doce amargo nas palavras”, poetas assim sempre me fascinam.

    Beijo Bill.
    Óptimo fim de semana.

    line
  2. Mary

    «Nem sei de quando
    amo este amor sombrio
    e amado, nem se amando
    ódio a ódio o adio,
    brando, tão brando
    e a frio.»

    Ai, eu adoro vir aqui nas sextas-feiras!!! Sempre descubro novos modos de realcionar-me com as palavras.

    Bjinhos e ótimo fds.

    line
  3. lyS

    Quanta poesia!!!!
    Adoro!
    Bjos

    line
  4. Lara

    Bem original! Adorei!
    Bj

    line
  5. DO

    Achei tão interessante qdo vc colocou o “amargo nas palavras”.

    Abração,grande Bill!!

    line
  6. ahhh eu não conhecia esse indivíduo.
    vejo q o blog aqui é cultura hehehe
    Ah, adoro Fernando Pessoa.

    =*

    line
  7. Bom fim de semana poetico.

    line
  8. a mim cai-me das mãos o que não sei dizer perante tanto cuidado na escolha dos teus post…
    por isso deixo fluir.me da alma o que de mais terno tenho para te dizer: é um bem sentir que existe quem tenha da vida uma visão “fazedora” de beleza constante: TU!!!!!

    um abraço….com ondas certas para te chegar.

    line
  9. Venho agradecer a visita e as palavras, voltarei com mais tempo pois tenho estado adoentada (acidente doméstico).

    Um abraço e um bom domingo

    line
  10. Bill, meu amigo, penso que este blog ainda é teu

    andei a viajar pelos meus post antigos, ando com a cabana meia abandonada, mas hoje apeteceu-me ler o que tinha postado e vi o teu nonme, a força que vinha de ti para eu continuar

    cliquei no endereço do comentário e vim aqui parar

    deliciei-me neste momentos que aqui passei, não o conhecia assim, está belo, parabéns

    abraço-te com saudade, na esperança que tudo contigo esteja bem, desta vez coloco-te nos favoritos para te vir ler mais vezes, mesmo em silêncio

    adorei ter estado o cuidado que tens a colocar cada post é perfeita

    beijinhos

    lena

    line
  11. Bill afinal sempre és tu, estava com receio. pois não conhecia assim o teu blog

    obrigada as tuas palavras sempre me deram força para continuar

    um beijo grande que atravessa o atlântico

    agora já não te perco

    um xi coração

    lena

    line
  12. Bill querido:

    Adorei este soneto: coisa linda! Obrigada.

    beijos querido, você consegue sempre me bem surpreender.

    line
  13. Quem se embrulha em Pessoa, inevitavelmente descobre Seabra.

    line

Deixe uma resposta