rss Buscar

Sexta Poética 39

line

I felt that it was all unreal

Chega ao fim do dia
a hora mais lenta, quando o céu
é vago e as luzes se acendem
no prédio da frente.

Vemo-los por vezes
dentro das janelas, vultos
delicados como miniaturas
ou meros reflexos que passam
nos vidros.

Alguns prosseguem encargos
de sombra, outros detêm-se
a olhar a rua, no gesto
a expressão do seu puro
enigma.

E são como provas
de coisa nenhuma. Se acaso
nos fitam, parecem dizer:
a morte não será decerto
mais estranha que a vida.

{Rui Pires Cabral}


Rui Pires Cabral
Rui Pires Cabral nasceu em Outubro de 1967 em Vila Real. Licenciou-se em História-Arqueologia em 1990. Publicou em 1985 um livro de contos mas foi fundamentalmente através da poesia que a sua escrita atingiu um grau de assinalável maturidade.

«Escreves-me cartas, sou o destinatário da tua solidão.»

A toada mais abstrata do seu primeiro livro deu lugar nos mais recentes, a uma poesia metonímica e figurativa quantas vezes surpreendente, onde as viagens, as cidades e a música são pretexto para uma escrita prosódica muito nítida.

«A cada país do mapa / uma mancha de cores macias / e a negra capital»

Rui Pires Cabral não esconde um gosto por um presente concreto no que de episódico e narrativo tem, e onde o mais pequeno acontecimento ou cena citadina serve para dele extrair um poema.

«Dentro de mim eu sei que quero / desperdiçar-me»

Um poeta extraordinario, de escrita forte, um dos poemas que mais gosto é «Shirley Ann Eales» , seus poemas são na media certa e com talento fabuloso, difícil saber qual livro é o melhor desse grande poeta da chamada nova poesia portuguesa .

«Haverá quem nos diga, no fim de tudo: eu conheço-te e senti a tua falta?»

Ótimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “XII” - Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “Confissão” - Leia!!!

Pergunto-me desde quando
deixou de haver futuro
nas janelas.

Janeiro dói nos olhos
como areia
e tu e eu para sempre
sentados às escuras
no verão.
{“Escuro – Rui Pires Cabral”}


12 comentários

line
  1. E sexta chegou trazendo poesia na casa do Bill, aqui me alimento de versos e conheço gente que os faz como ninguém, gostei do Rui, aprenderei mais e agradecerei poetinha Bill por isso.
    Dias lindos de um findi especial ;)
    beijos

    line
  2. Jana

    Hum eu gostei dessa figura ai rs

    beijos

    line
  3. DO

    E vivam as sextas,hehehe

    abração,Bill!!

    line
  4. «Dentro de mim eu sei que quero / desperdiçar-me»

    ai, como gostei disso.

    beijos moço Bill.. ótimo final de semana

    line
  5. Tenha um ótimo final de semana.
    Big Beijos

    line
  6. Mary

    Eu tava aqui pensando na belíssima antologia poética da língua portuguesa que é o teu blog às sextas feiras.
    Adoro.
    Bjinhos e bom final de semana.

    line
  7. Mel

    Bill, que o fim do dia nos traga sempre a esperança de dias melhores a nos receber.
    Um beijo e um ótimo fim de semana também!

    line
  8. e como sempre
    com lindos novos encantos que eu conheço por aqui

    ótimo final de semana

    “Ter o pudor de si próprio; perceber que na nossa presença não estamos sós, que somos testemunhas de nós mesmos, e que por isso importa agir perante nós mesmos como perante um estranho.”
    (Bernardo Soares)

    Bjos da -=Þëqµëñä Þö놡zä=- !!!

    line
  9. Pareceu realmente um escritor interessantes. Bom fim de semana

    line
  10. Bill, ele me lembrou Fernando Pessoa.
    É maravilhoso!

    beijos, boa semana para você.

    line
  11. Bill, adorei esse link automático no nome do poeta.
    Você sabe tudo, hein???

    beijos

    line
  12. Tina

    Oi Bill!

    Mais uma preciosidade. Obrigada por dividir.

    beijos querido,

    line

Deixe uma resposta