rss Buscar

Sexta Poética 22

line


Há em teus olhos, dados ao momento,
uma tristeza de água reprimida,
que é como o pressentimento
duma próxima despedida.
Tristeza que faz lembrar
dias perdidos de outono
com luz pálida a incidir
nas folhas mortas de sono.
Deixa que a esperança os molhe,
os inunde de alegria.
Cada noite passa e colhe
o gosto dum novo dia.

{Albano Martins}


Albano Martins
Albano Martins nasceu em 1930 na aldeia do Telhado (Fundão). Licenciado em Filologia Clássica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi professor do Ensino Secundário de 1956 a 1976. Presentemente, é professor na Universidade Fernando Pessoa, do Porto.

«E nada mais dirás. Que tudo, como ouviste, é silêncio. Escuta. Dorme”»

Após a sua estreia, em 1950, seguiram-se alguns anos de silêncio, só quebrado, em 1967, com a publicação de Coração de Bússola.

«Não tinhas nome. Existias como um eco do silêncio. Eras talvez uma pergunta do vento.»

Foi secretário da redação da revista portuense “Nova Renascença” e membro da comissão de honra e do conselho coordenador, além de assessor, do jornal literário, também portuense, “Letras & Letras”.

«A boca diz o lume. A língua, a chama.»

É, além de poeta, tradutor de poetas. Participou em diversos congressos, é hoje um dos mais importantes poetas portugueses da contemporaneidade, com voz poética bela, um poeta singular com uma obra grandiosa, que deixa sempre um gosto bom na boca.

«Ao deserto
dos teus ombros
ofereço
os meus lábios.»

Ótimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “Primeiro – Noite”- Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “Languidez” - Leia!!!

Modelo agora as pálpebras, corrijo
o itinerário das árvores que sobram
da cabeça para os ombros. Afeiçoo
o anel dos lábios, fixo
as palpitações do fogo.
{“Albano Martins”}


24 comentários

line
  1. Julis

    Adorei o novo layout Bill

    line
  2. Patty

    Bill

    Primeiro tô morrendo de vergonha “docê”, como assim perdi a comemoração dos 2 anos do blog? Perdão. Essa semaninha foi complicada.

    Parabéns atrasado, tá? O blog está lindo, vc é maravilhoso em tudo, na forma como trata seus leitores, na forma como interage na blogosfera. Nos falamos bem pouco, mas o carinho é enorme, vc sabe.

    Seus outros blogs FP e FE estão lá nos meus feeds do orkut pq adoro dividi-los com meus amigos. Obrigada por compartilhar conosco palavras lindas, nos brindar com a sua sensibilidade.
    Vida longa ao Realidade Torta e eu espero estar sempre por aqui.

    Não conheço Albano Martins, gostei muito do verso dele. Aí, ta vendo? Seu blog é um grande aprendizado. Amo muito tudo isso.
    Beijos meu querido e bom domingo!!!

    line
  3. Raquel

    “Deixe que a esperança os molhe”, muito lindo!
    Uma ótima semana para você!
    Beijos

    line
  4. Marie

    Olá Bill
    gostei do novo lay…
    adoro as sextas poéticas…
    bjs

    line
  5. A água foi feita para não ser detida.

    line
  6. Erika

    «Ao deserto
    dos teus ombros
    ofereço
    os meus lábios.»

    Amei isso.

    Beijo

    line
  7. line
  8. marie

    vício?
    só vicio?
    é bem pouco.
    é muito mais que vicio.
    quase dá medo.
    é simplesmente, perfeito. pqp.

    line
  9. Senhorita Bill(Pimenta)

    Albano Martins,esse eu conheço óóóó.Foi um dos nomes(além dos mais conhecidos autores portugueses)que me foi apresentado na escola.Gosto de como um eco que colocou ali.

    “Não tinhas nome.Existias como um eco do silêncio.Eras talvez uma pergunta do vento.”

    line

Deixe uma resposta