rss Buscar

Sexta Poética 07

line


Noites Gélidas

Rosto comprido, airosa, angelical, macia,
Por vezes, a alemã que eu sigo e que me agrada,
Mais alva que o luar de inverno que me esfria,
Nas ruas a que o gás dá noites de balada;

Sob os abafos bons que o Norte escolheria,
Com seu passinho curto e em suas lãs forrada,
Recorda-me a elegância, a graça, a galhardia
De uma ovelhinha branca, ingênua e delicada.

{Cesário Verde}


José Joaquim Cesário Verde nasceu em Lisboa e matriculou-se no curso de Letras da Universidade de Lisboa, mas desistiu indo trabalhar na loja de ferragens que seu pai tinha na Rua dos Bacalhoeiros. Começou a publicar poesias no Diário de Notícias, no Diário da Tarde, no Ocidente, entre outros.
De poesia delicada, Cesário empregou técnicas impressionistas, com extrema sensibilidade ao retratar a Cidade e o Campo, seus cenários prediletos. Evitou o lirismo tradicional, expressando da forma mais natural possível.

“E agora, de tal modo a minha vida é dura,
Tenho momentos tão maus, tão tristes, tão perversos,
Que sinto só desdém pela literatura,
E até desprezo e esqueço meus amados versos”

A historia de Cesário Verde não pode ser contada sem falar do seu amigo Silva Pinto, que foi um amigo eterno para o poeta, Silva esteve com ele sempre, até a hora da morte, procurou ajuda para o amigo até os últimos dias:

“E eu fui á beira de Sousa Martins e perguntei-lhe se o poeta Cesário Verde podia ser salvo. O grande e illustre medico tranquilisou-me – -e apunhalou-me em pleno peito:–Que o poeta Cesário Verde estava irremediavelmente perdido!”

Cesário morreu de tuberculose aos 31 anos. Foi graças aos esforços do seu amigo Silva Pinto que as suas poesias são postumamente publicadas em volume com o título “O Livro de Cesário Verde (1887)”.
Cesário e suas palavras, Cesário e sua historia de vida, que se fosse colocar aqui seriam vários e vários post´s, sei que gosto muito, para quem quiser saber mais, clique aqui.

Ótimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “Vossa Formosa”- Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “A Flor do sonho” - Leia!!!

Ó mantos de veludo esplendido e sombrio,
Na vossa vastidão posso talvez morrer!
Mas vinde-me aquecer, que eu tenho muito frio
E quero asphyxiar-me em ondas de prazer.

{Cesário Verde}


26 comentários

line
  1. Espero mais algum texto do Fernando Pessoa.
    Big Beijos

    line
  2. ótimo fim de semana pra ti também!
    pardon, não tenho muita paciência pra ler “novas” biografias.
    e os versos dele me soaram gélidos, assim como a noite.
    a noite de lá, porque a daqui arde nesse fim de verão.
    :*** moço.

    line
  3. Nestes versos “E agora, de tal modo a minha vida é dura,
    Tenho momentos tão maus, tão tristes, tão perversos,
    Que sinto só desdém pela literatura,
    E até desprezo e esqueço meus amados versos”
    identifiquei meu momento… Beijos, Bill.

    line
  4. também quero ter uma asfixia em ondas de prazer!

    lindíssimo final de semana, caro poeta.

    beijinhos :****

    line
  5. SEmpre aprendo por aqui.
    Bom final de semana TB.

    line
  6. Adorei saber mais sobre esse poeta fabuloso. É… Amizade é uma coisa muito boa pra gente, quando a encontramos de verdade. Bjus e um ótimo domingo.

    line
  7. Cesario Verde, admirado por Fernando Pessoa, tanto que ele se utiliza do nome de Cesario em um de seus poemas com heterônimo.Beijos Bill!

    line
  8. Boa semana Bill, lindo poema!

    line
  9. Consegui visualizar a menina que ele falava só bela descrição que ele fez.parabéns!Mais um poeta fantástico que você me apresenta!Tenha uma semana linda.Beijos!!!

    line
  10. semana estarei fora de casa mas darei um jeitinho de vir te ver… ;)
    lindos dias querido
    beijossssssssss

    line
  11. Supercalifragilisticexpialidocious

    Cesário Verde um poeta que começo a conhecer,e já me delicio lendo os versos dele.
    O poemas que mais gosto é Flores Velhas,mas agora não me recordo muito bem dele todo.

    “Fui ontem visitar o jardinzinho agreste
    Aonde tanta vez a lua nos beijou……..”

    line

Deixe uma resposta