rss Buscar

Sexta Poética 03

line


Os Silêncios

Não entendo os silêncios
que tu fazes
nem aquilo que espreitas
só comigo
Se escondes a imagem
e a palavra
e adivinhas aquilo
que não digo
Se te calas
eu oiço e eu invento
Se tu foges
eu sei não te persigo
Estendo-te as mãos
dou-te a minha alma
e continuo a querer
ficar contigo.

{Maria Teresa Horta}


Maria Teresa Horta nasceu em Lisboa, a 20 de Maio de 1937. Depois de ter freqüentado a Faculdade de Letras, ingressou no jornalismo, tendo sido coordenadora, durante três anos, do suplemento “Literatura e Arte”, do jornal A Capital,Posteriormente, foi crítica literária no Expresso e foi chefe de redação da revista Mulheres.
Esteve ligada ao movimento de renovação da poesia portuguesa dos anos 60, tendo pertencido, nessa mesma época, ao grupo Poesia 61.
A militância política feminista marcou desde início da década de sessenta a carreira da poetisa portuguesa Maria Teresa Horta. Empenhada na luta feminista, sempre fez da palavra uma maneira de enfrentar a opressão social/sexual e buscar liberdade de expressão. Na leitura do conjunto da obra é perceptível a marca de duas vertentes que se cruzam e dialogam: o erotismos e o engajamento político.
Dentro desta linha, viu dois dos seus livros proibidos pela censura do Estado Novo, e respondeu em tribunal, num processo que gerou grande polêmica, pela publicação do livro Novas Cartas Portuguesas (1972), de que é co-autora juntamente com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa.
A sua obra encontra-se marcada por uma forte tendência de experimentação e exploração das potencialidades da linguagem, numa escrita impetuosa e frequentemente sensual.
Uma doce mulher com versos mais doces ainda…

Otimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “Saudoso”- Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “Errante” - Leia!!!

São os rios mais antigos
que se desprendem da maciez as estradas
a caminho
da branda foz dos pássaros
e das pernas
{“Maria Teresa Horta”}


42 comentários

line
  1. Muito boa essa poesia. Abraço.

    line
  2. Identifico-me com tais versos.
    Bom domingo

    line
  3. Oi Bill*** Hum, mais silêncios por aqui…
    Adorei a poesia… eu tbm não entendo “certos silêncios”
    Ta aí, mais uma poetisa maravilhosa, gostei mesmo. Beijão =******

    line
  4. Todo mundo precisa de uns momentos de solidão de privacidade… E de alguém que respeite isso. Bjs.

    line
  5. Oi Bill! Há um tempinho não passo por aqui… mas nem o *TM* escapou, coitado! :D
    Adorei o poema! Conheço algumas coisas da autora, muito interessante!
    Beijão é ótima semana para todos!

    line
  6. ai que lindo, que mimoso, que doce!!
    tão carinhoso este poema, estou aqui encantada com Maria Teresa Horta!
    obrigado Bill por mais este presente!
    ;-)
    beijos!

    line
  7. Gostei muito desse texto, não é longo e muito profundo.
    Big Beijos

    line
  8. Parabéns pela página. Acabo de conhecer e vai imediatamente a meus favoritos. Abraços.

    line
  9. Billlllllllllllllll finalmente voltei, até que enfim né? rsrsrs

    line
  10. Pestinha

    Lindo poema!Mais um nome para deixar de ser tapada,anotando aqui.

    Silêncios…………..às vezes necessários mas sinceramente,me irritam.

    line
  11. Just want to say your article is as ainmzag. The clearness on your put up is simply spectacular and that i can assume you’re an expert on this subject. Well together with your permission allow me to clutch your feed to keep updated with drawing close post. Thanks one million and please keep up the gratifying work.

    line

Deixe uma resposta