rss Buscar

Sexta Poética 02

line


Espera

Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti
até que todas as coisas sejam mudas.

Até que uma pedra irrompa
e floresça.
Até que um pássaro me saia da garganta
e no silêncio desapareça.

{Eugénio de Andrade}


Eugénio de Andrade, José Fontinhas de seu nome civil, 19/01/1923 – 13/06/2005.
Nasceu em Póvoa de Atalaia, Fundão, no seio de uma família de camponeses. A sua infância foi passada com a mãe, na sua aldeia natal. Mais tarde, prosseguindo os estudos, foi para Castelo Branco, Lisboa e Coimbra, onde residiu entre 1939 e 1945. Em 1947 entrou para a Inspeção Administrativa dos Serviços Médico-Sociais, em Lisboa. Em 1950 foi transferido para o Porto, onde fixou residência. Abandonou a idéia de um curso de Filosofia para se dedicar à poesia e à escrita. Publica, em 1940, Narciso, o seu primeiro volume de poemas, a que se seguem Pureza (1942) e Adolescente (1945). Destes três livros, depois de expurgados pelo autor, foram publicadas diversas composições numa antologia intitulada Primeiros Poemas, cuja primeira edição data de 1977. Embora não se integre em nenhum dos movimentos literários que lhe são contemporâneos, não os ignorou, mostrando-se solidário com as suas propostas teóricas e colaborando nas revistas a eles ligadas, como Cadernos de Poesia; Vértice; Seara Nova; O Tempo e o Modo e Cadernos de Literatura, entre outras.
Em 2001 é-lhe atribuído o Prêmio Camões. A sua obra encontra-se traduzida em mais de vinte idiomas. Honras modestas para um poeta cuja obra não carece de elogios.

Para mim um grande poeta de palavras doces e firmes que sempre ajudam a desenhar os sonhos, a sua Obra, o seu Exemplo e testemunho de simplicidade perdurá pela eternidade. Parabéns Eugénio de Andrade!!!!!

Otimo fim de semana pra você.

Fernando Pessoa – Poema do Dia: “Quão Breve”- Leia!!!
Florbela Espanca – Poema do Dia: “Anseios” - Leia!!!

DESPERTAR
É um pássaro, é uma rosa,
é o mar que me acorda?
Pássaro ou rosa ou mar,
tudo é ardor, tudo é amor.
Acordar é ser rosa na rosa,
canto na ave, água no mar.
{“Eugénio de Andrade”}


30 comentários

line
  1. Coisa mais linda essa poesia.
    Copiei.
    :D

    line
  2. Moço Bill, lindos versos.
    Principalmete porque para mim, disse muito…
    Adoro ler-te!

    Bjs e ótimo fds. Do tipo cinzento, como vc gosta! [rs]

    line
  3. DO

    Confesso que não o conheço. Mas gostei do que vc aqui colocou.
    Abração,Bill
    Otimo fds a vc.

    line
  4. Ando precisando ter mais paciência para esperar ou ter mais “sorte” pra não esperar tanto ou não esperar mais…
    Bjitos!

    line
  5. Bill onde vc encontra tanto texto lindo????

    Big Beijos

    line
  6. rmfc

    Oi Bill q lindo!!! eu nao conhecia nada do eugenio de andrade!!! valeu por me apresentar!!!

    Ahh to de casa nova!!! (ainda falta arrumar mta coisa, mas já to lá)

    Bjos

    line
  7. putz. o cara é bom mesmo, viu? me dá mais pistas dele… bj

    line
  8. Bem lembrado Bill
    gosto muito…tô sempre postando suas poesias.
    gostei da foto! simpático, né?
    bom fim de semana pra ti
    beijinhos

    line
  9. ah…Bill…acabei de postar…fiz uma pequena homenagem para o nosso amigo vampiro Dj…hehehe espero que ele goste da vampira que arrumei pra ele…dá uma passadinha por lá…beijinhos

    line
  10. E de pássaro penso,
    que o passar do passo
    é pressa.
    Pausada, a alma pede paz.

    ***Estrelas***

    line
  11. Bill querido, gozando minhas férias num verdadeiro paraíso, me sentia exatamente assim: “rosa na rosa, canto na ave, água no mar”. Acolhendo a poesia da natureza.
    Que teu 2007 seja cheio de iluminuras, alegrias, amor compartilhado.
    Beijos

    line
  12. que hermoso poema esta muy lindo
    la poesia es tan hermosa, poetas que nos regalan sus versos y alimentan nuestra alma
    amigo deseo que estes muy bien, un buen fin de semana
    besitos y cuidate

    besos y sueños

    line
  13. Bill,
    Espera…esperar…
    Exercicio de paciência, de persistência…de vida.
    Beijos

    line
  14. Sem dúvida um grande poeta… embora nos últimos 15 anos mais não faça do que repetir-se a si mesmo.

    line
  15. Pestinha

    ÊÊÊÊ até que enfim um nome que eu conheço.

    Calma aí,eu lembro de algo dele:”Escuta,escuta:tenho ainda/uma coisa a dizer/Não é importante,eu sei,não vai/salvar o mundo, não mudará/a vida de ninguém mas quem/é hoje capaz de salvar o mundo/ou apenas mudar o sentido/da vida de alguém?….”

    O sal da língua,ó aleluia!É difícil eu me lembrar de trechos de poemas mas esse eu consegui lalalala

    line

Deixe uma resposta