rss Buscar

next page next page close

Bloomsday

Touch me.
Soft eyes.
Soft soft soft hand.
I am lonely here.
O, touch me soon, now.
What is that word known to all men?
I am quiet here alone.
Sad, too.
Touch, touch me…

Ulysses – James Joyce


next page next page close
thumbnail O Regresso dos Deuses – Rebelião zoom
next page next page close

A mercadoria como espetáculo

O espetáculo é a outra face do dinheiro: o equivalente geral abstrato de todas as mercadorias. Mas se o dinheiro dominou a sociedade enquanto representação da equivalência central, isto é, do carácter permutável dos bens múltiplos cujo uso permanecia incomparável, o espetáculo é o seu complemento moderno desenvolvido, onde a totalidade do mundo mercantil aparece em bloco como uma equivalência geral ao que o conjunto da sociedade pode ser e fazer. O espetáculo é o dinheiro que se olha somente, pois nele é já a totalidade do uso que se trocou com a totalidade da representação abstrata. O espetáculo não é somente o servidor do pseudo-uso, é já em si próprio, o pseudo-uso da vida.

Guy Debord, in “A sociedade do espetáculo”


next page next page close

procuro

(…) procuro o maço de cigarros na carteira, fumar mata, em letras enormes, de um lado, do outro, fumar causa o envelhecimento da pele, se por um acaso não morrer, se me der para ser eterna, tenho direito a uma indenização já que me asseguraram que fumar mata, desde quando é que todas as coisas desataram a falar, a estrada, conduza com prudência, respeite a margem de segurança, se conduzir não beba, imagino qualquer dia o hall de um prédio, se tiver uma vizinha boazona por favor não a apalpe, ou, apalpar vizinhas depende da autorização prévia do condomínio que reserva o direito de, outro aviso, quando pisar merda de cão na rua não limpe os sapatos no capacho do vizinho, procure antes os capachos de outros prédios, acendo o cigarro, hoje à tarde o banco, subscreva um plano poupança habitação, um plano poupança reforma, qualquer dia o banco, subscreva um plano infalível de assalto à mão armada, pode ainda subscrever os complementos especial perversidade, ou fuga para país tropical, a farmácia onde ontem fui comprar pingos para o nariz, já não se usa morrer de amor, use preservativo, vigie o seu colesterol, meça a sua tensão, beba um litro e meio de água por dia, evite as gorduras, faça exercício, a farmácia e o rol de conselhos, não acho bem que as estradas, os bancos, as farmácias, as roupas, tenham desatado a falar, os disparates dos falantes tradicionais chegavam (…)

Dulce Maria Cardos


next page next page close

Se a…

“Se a compreensão não for acompanhada de um reconhecimento pleno do outro como sujeito, então essa compreensão corre o risco de ser utilizada com vistas à exploração, ao tomar; o saber será subordinado ao poder”.

T. Todorov, A conquista da América


next page

Bloomsday

Touch me. Soft eyes. Soft soft soft hand. I am lonely here. O, touch me soon, now. What...
article post
thumbnail O Regresso dos Deuses – Rebelião article post

A mercadoria como espetáculo

O espetáculo é a outra face do dinheiro: o equivalente geral abstrato de todas as...
article post

procuro

(…) procuro o maço de cigarros na carteira, fumar mata, em letras enormes, de um...
article post

Se a…

“Se a compreensão não for acompanhada de um reconhecimento pleno do outro como...
article post